sábado, 24 de setembro de 2016

Três anos sem Bere - Só restam Saudades




                     


   Hoje fazem três anos que Bere partiu. O que dizer? Sim, digo que ainda morro de saudades de nossa vida em comum, de nossas somas, nossas alegrias, nossas conquistas, nossos risos, nossos sonhos, nossos projetos, nossos olhares, nossos beijos, nossos chimarrões, enfim, ...morro de saudades desta vida que tão bem foi vivida ao lado de Bere. Morro de saudades de seu cheiro, sua aura, sua vida interagindo com minha vida. Morro de saudades de seu cuidado com tudo que nos cercava, uma casa completamente arrumadinha, contas em dia e compromissos anotados em sua agenda. Morro de saudades em viver seus sonhos que eram tantos, que o destino lhe arrancou prematuramente sem que tivesse ao menos ideia de como concretizar. Morro de saudades de seus pitacos, suas críticas construtivas, seu orgulho por meu trabalho e de nossos filhos. Morro de saudades de sua alegria vendo um programa divertido de televisão, vestindo seus langanhos e gritando as respostas para quem não sabia responder, chamando-os de antas. Morro de saudades de sua voz, seu jeito cantado de falar que tanto me encantava. Morro de saudades de seu sono profundo ao meu lado nas noites amenas, seu aconchego nas noites de frio e seu jeito folgado tomando conta de toda a cama nas noites de calor. Morro de saudades de sua garra, seu jeito aguerrido de peitar situações difíceis, enfrentando tudo de frente sem medir consequências quando sabia que tinha razão. Morro de saudades de seus ensinamentos, suas frases perfeitas tiradas do nada no momento certo, que me calavam admirado por ver seu censo tão criativo. Morro de saudades dos seus olhos sinceros fitando os meus, espelhando sua alma. Morro de amor pela única mulher que realmente amei na vida e que para sempre estará em meu coração. Três anos sem Bere. Muitas saudades.